Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia da Moral ou Ética - Missão 20 - Peter Singer - o utilitarismo, a bioética

Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros

Enviado em 25/03/2009

Publicado em 30/09/2013

Luiz Antonio - A argumentação para não comer polvo
Flavia Cavalcanti

Alguma vez você já pensou na trajetória de um bife antes de chegar ao seu prato? Nós pesquisamos para você e contamos neste documentário aquilo que não é divulgado. Saiba dos impactos que o ato - aparentemente banal - de comer carne representa para a sua saúde, para os animais e para o planeta.

A Carne é Fraca
Instituto Nina Rosa
Filosofia da Moral ou Ética
Temas: utilitarismo, bioética
Questões Centrais: Como justificar minha ação ética?
Filósofo: Peter Singer (1946 – )
Obra: Ética Prática (1993)

Biografia

Peter Singer (Melbourne, 1946) é um filósofo e professor australiano. É professor na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Atua na área de ética prática, tratando questões de Ética de uma perspectiva utilitarista. Singer foi professor de filosofia na Universidade de Monash em Melbourne, onde fundou o Centro para Bioética Humana. Em 1999 foi nomeado Professor Ira W. DeCamp de Bioética do Centro de Valores Humanos de Princeton e se mudou para os Estados Unidos.

Ler textos filosóficos de modo significativo

Ética Prática (1993)

Ao agir preciso de uma justificativa ética racional e universal. (...)
Todas (as éticas anteriores) concordam que não se pode justificar um princípio ético relativamente a qualquer grupo parcial ou local. A ética adota um ponto de vista universal. Não quer isto dizer que um determinado juízo ético tenha de possuir aplicação universal. As circunstâncias alteram as causas. Significa isso sim, que quando fazemos juízos éticos, vamos para além de preferências e aversões. De um ponto de vista ético, é irrelevante o fato de ser eu o beneficiário de, digamos, uma distribuição mais equilibrada do rendimento e outra pessoa a prejudicada. A ética exige que nos abstraiamos do ‘eu’ e do ‘tu’ e que cheguemos à lei universal, ao juízo universalizável, ao ponto de vista do espectador imparcial ou do observador ideal, ou o que lhe quisermos chamar.
A forma de pensar que esbocei é uma forma de utilitarismo. Difere do utilitarismo clássico no fato de “melhores conseqüências” serem entendido como aquilo que, ponderadas as alternativas, aprofunda os interesses dos afetados, e não meramente o que aumenta o prazer e reduz o sofrimento.
O que mostra tudo isto? Não mostra que o utilitarismo se possa deduzir do aspecto universal da ética. Há outros ideais éticos como os direitos individuais, a santidade da vida, a justiça, a pureza, etc. — que, sendo universais no sentido exigido, são incompatíveis com o utilitarismo, pelo menos em algumas versões. Mostra isso sim, que chegamos rapidamente a uma posição inicialmente utilitarista a partir do momento em que aplicamos o aspecto universal da ética à tomada de decisões simples, pré-éticas. Este fato, segundo creio, coloca o ônus da prova naqueles que pretendem ir além do utilitarismo. A posição utilitarista é minimalista, uma primeira base à qual chegamos quando universalizamos a tomada de decisões baseada no interesse pessoal. Não nos podemos recusar a dar este passo se quisermos pensar eticamente. Se nos persuadirmos que devemos ir além do utilitarismo, aceitando regras ou ideais morais não utilitaristas, precisamos ter boas razões para dar esse passo. Enquanto não surgirem essas boas razões, temos alguns fundamentos para permanecermos utilitaristas.  (...)
A essência do princípio da igual consideração significa que, em nossas deliberações morais, atribuímos o mesmo peso aos interesses semelhantes de todos os que são atingidos por nossos atos.

Dicionário Filosófico

Especismo –  é a discriminação baseada em espécies, que envolve atribuir a animais sencientes diferentes valores e direitos baseados na sua espécie. De modo similar ao sexismo e ao racismo, a discriminação especista pressupõe que os interesses de um indivíduo são de menor importância pelo mero feito de se pertencer a uma determinada espécie. De acordo com a igual consideração de interesses, de qualquer que seja a espécie os interesses semelhantes devem ser respeitados. Inferir dor num animal sem se preocupar com isso, é ignorar o princípio básico da igualdade, que parte da premissa da igual consideração de interesses.

Senciência – é a "capacidade de sofrer ou sentir prazer ou felicidade". Não inclui, necessariamente, a auto-consciência. A palavra senciência é muitas vezes confundida com sapiência, que pode significar conhecimento, consciência ou percepção. As duas palavras podem ser diferenciadas olhando-se suas raízes latinas: sentire é "sentir" e sapere é "saber". Senciência, portanto, é a capacidade de sentir.

Utilitarismo – é uma doutrina ética que prescreve a ação (ou inação) de forma a otimizar o bem-estar do conjunto dos seres sencientes. O utilitarismo é então uma forma de consequencialismo, ou seja, ele avalia uma ação (ou regra) unicamente em função de suas conseqüências. Filosoficamente, pode-se resumir a doutrina utilitarista pela frase: Agir sempre de forma a produzir a maior quantidade de bem-estar (Princípio do bem-estar máximo). Antes de quaisquer outros, foram Jeremy Bentham (1748-1832) e John Stuart Mill (1806-1873) que sistematizaram o princípio da utilidade e conseguiram aplicá-lo a questões concretas – sistema político, legislação, justiça, política econômica, liberdade sexual, emancipação feminina, etc.

Bioética – é o estudo transdisciplinar entre biologia, medicina, filosofia (ética) e direito (biodireito) que investiga as condições necessárias para uma administração responsável da vida humana, animal e responsabilidade ambiental. Considera, portanto, questões onde não existe consenso moral como a fertilização in vitro, o aborto, a clonagem, a eutanásia, os transgênicos e as pesquisas com células tronco, bem como a responsabilidade moral de cientistas em suas pesquisas e suas aplicações.

Deontologia – (do grego deon "dever, obrigação" + logos, "ciência"), na filosofia moral contemporânea, é uma das teorias normativas segundo as quais as escolhas são moralmente necessárias, proibidas ou permitidas. Portanto inclui-se entre as teorias morais que orientam nossas escolhas sobre o que deve ser feito. O termo foi introduzido em 1834, por Jeremy Bentham, para referir-se ao ramo da ética cujo objeto de estudo são os fundamentos do dever e as normas morais. É conhecida também sob o nome de "Teoria do Dever". É um dos dois ramos principais da Ética Normativa, juntamente com a axiologia. Pode-se falar, também, de uma deontologia aplicada, caso em que já não se está diante de uma ética normativa, mas sim descritiva e inclusive prescritiva. Tal é o caso da chamada "Deontologia Profissional".

Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo

1 – Para Singer, todas as éticas precisam de uma justificativa que visam ao:
       (   ) racional e universal                                         (   ) sentimental e particular
2 – O utilitarismo de Singer difere do utilitarismo clássico por que:
       (   ) visa o aumento do prazer e a redução da dor  (   ) visa os interesses dos afetados
3 – O aspecto universal da ética utilitarista de Singer está na:
       (   ) tomada de decisões simples; minimalista          (   ) tomada de decisões complexas, maximizada
4 – Quando em nossas deliberações morais, atribuímos o mesmo peso aos interesses semelhantes de todos os que são atingidos por nossos atos, temos o:
       (   ) princípio da igual consideração de interesses    (   ) princípio da desigual consideração de interesses
5 – Como podemos respeitar os animais e ter igual consideração pelos seus interesses, se continuamos a comê-los por mera questão de prazer? Encontre uma justificativa ética racional e universal.
6 – O que é utilitarismo?
7 – O utilitarismo avalia uma ação unicamente em função de suas:
       (   ) conseqüências                                                 (   ) antecedências
8 – Qual é o princípio do bem-estar máximo?
9 – O que é o especismo?
10 – O que é senciência?
11 - O estudo da psicologia é relativamente recente. No começo do século 20 ela ficou mais popular. Com a intenção de aprender sobre o processo do pensamento e comportamento humano muitos psiquiatras foram longe demais em suas experimentações, o que levou ao aprimoramento dos códigos e padrões de ética. Leia "Os 10 experimentos psicológicos mais antiéticos" e escreva sua opinião sobre a importância da deontologia.
12 - O que é bioética?
13 - Escolha um dos temas de Bioética abaixo e faça uma breve pesquisa terminando com algumas questões polêmicas sobre o tema.
- Pesquisas com células-tronco
- Clonagem
- Fertilização artificial (in vitro)
- Aborto
- Eutanásia
- Produção de transgênicos (principalmente alimentos)
- Ética médica e científica
- Transplante de órgãos
- Uso de órgãos de animais em humanos
- Tratamentos da dor
- Criônica (conservação do corpo humano após a morte)
- Doação de órgãos
- Uso de drogas ilícitas em tratamentos médicos
- Engenharia genética humana
- Relações médico-paciente
- Vida artificial
- Transfusão de sangue em Testemunhas de Jeová
- Eugenia
- AIDS
- Pena de Morte
- Pesquisa em animais

Hora Certa

Total de visualizações de página