Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia Política - Missão 04 - Aristóteles - a formação da polis


Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros (PCNs, página 64)

Você está preparado para conquistar a Grécia Antiga? Quer seguir os passos de Odisseu, de Leônidas ou da bela Helena ou de outros heróis gregos? Então junte-se a nós numa aventura única no mundo dos gregos antigos.
Grepolis é um jogo online gratuito para navegador, com um foco forte no jogo cooperativo e na estratégia. A sua tarefa consiste em transformar uma pequena "polis" (palavra grega para cidade) numa enorme metrópole. Recrute um poderoso exército com unidades míticas como a Manticora ou a Hidra. Transporte as suas tropas navegadoras pelos mares gregos e conquiste ilhas longínquas.
Forje poderosas alianças com os seus amigos e planejem juntos ataques aos inimigos comuns, por terra, por água ou pelos céus. Na sua viagem épica rumo à fama e glória, tente obter o favor dos deuses do panteão grego: Zeus, Hera, Atena, Hades, Poseidon ou Ártemis. As suas boas graças podem significar a diferença entre a vitória e a derrota. Construa Maravilhas do Mundo únicas e seja escolhido como o governante mais poderoso da Grécia Antiga!

http://br.grepolis.com/
Filosofia: Política
Tema: a formação da polis
Filósofo: Aristóteles (384 – 324 a.C.)
Obra: Política
Questão Central: Por que os homens vivem em sociedade?

Biografia

Aristóteles nasceu em Estagira, na Calcídica (384 – 322 a.C.). Filósofo grego, aluno de Platão e professor de Alexandre, o Grande, é considerado um dos maiores pensadores de todos os tempos e criador do pensamento lógico.
Ele está entre os mais influentes filósofos gregos, junto com Sócrates e Platão, que transformaram a filosofia pré-socrática, construindo um dos principais fundamentos da filosofia ocidental. Aristóteles prestou contribuições fundantes em diversas áreas do conhecimento humano, destacando-se: ética, política, física, metafísica, lógica, psicologia, poesia, retórica, zoologia, biologia, história natural. É considerado por muitos o filósofo que mais influenciou o pensamento ocidental.

Política

Se, em nossas ações, há algum fim que desejamos por ele mesmo e os outros são desejados só por causa dele, e se não escolhemos indefinidamente alguma coisa em vista de uma outra (pois, nesse caso, iríamos ao infinito e nosso desejo seria fútil e vão), é evidente que tal fim só pode ser o bem, o Sumo Bem (...) Se assim é, devemos abarcar, pelo menos em linhas gerais, a natureza do Sumo Bem e dizer de qual saber ele provém. Consideramos que ele depende da ciência suprema e arquitetônica por excelência. Ora, tal ciência é manifestamente a política, pois é ela que determina, entre os saberes, quais são os necessários para as cidades e que tipos de saberes cada classe de cidadãos deve possuir. (...) A política se serve das outras ciências práticas e legisla sobre o que é preciso fazer e do que é preciso abster-se; assim sendo, o fim buscado por ela deve englobar os fins de todas as outras, donde se conclui que o fim da política é o bem propriamente humano. Mesmo se houver identidade entre o bem do indivíduo e o da cidade, é manifestamente uma tarefa muito mais importante e mais perfeita conhecer e salvaguardar o bem da cidade, pois o bem não é seguramente amável mesmo para um indivíduo, mas é mais belo e mais divino aplicado a uma nação ou à cidade. (...)
A associação composta por vários povoados forma uma cidade perfeita, possuindo todos os meios de se bastar a si própria, para além de ter atingido, por assim dizer, o fim de toda a sociedade. Unicamente nascida da necessidade de viver, ela existe para viver em bem-estar e abundância. É por isso que podemos dizer que toda cidade é um fato da natureza, visto que foi a natureza que formou as primeiras associações; porque a cidade, ou sociedade civil, é o fim dessas associações. Ora, a natureza dos seres está em seu fim; porque o estado em que cada ser vem a encontrar-se, desde o momento de seu nascimento e até o seu perfeito desenvolvimento, é aquilo a que chamamos a natureza deste ser, como por exemplo, do homem, do cavalo, da família. Por outro lado, o fim para o qual foi criado é, para aquele ser, o que possui de mais vantajoso; com efeito, a condição de se bastar a si mesmo é o fim de todo ser, e aquilo que de melhor existe para ele. É, pois, evidente que, nesta base, a cidade é um fato da natureza, sendo o homem um animal político por natureza. Aquele que, pela sua natureza e não por efeito de determinadas circunstâncias, assim não for, ou é uma criatura degredada, ou uma criatura superior ao homem. (...) Tal como lá o dissemos, a natureza não faz nada em vão. Ora, o homem é o único entre todos os animais a ser dotado de razão. Por outro lado, as inflexões da voz são sinais de sentimentos agradáveis ou desagradáveis, e é por isso que também as encontramos em outros animais; porque a sua natureza torna-os, pelo menos, capazes de sentir o prazer e a dor e de o manifestarem uns aos outros; mas a linguagem tem por fim dar a conhecer o que é útil ou nocivo e, consequentemente, também aquilo que é justo ou injusto. Com efeito, aquilo que distingue o homem dos outros animais é o fato de ele possuir o sentimento do bem e do mal, do justo e do injusto. Ora, a comunicação destes sentimentos constitui a família e a cidade. (...) É evidente, pois, que a cidade é por natureza anterior ao indivíduo, porque, se o indivíduo separado não se basta a si mesmo, será semelhante às demais partes com relação ao todo, e aquele que não pode viver em sociedade, ou não necessita nada por sua própria suficiência, não é membro da cidade, mas sim uma besta ou um deus. É natural em todos a tendência a tal comunidade, porém o primeiro que a estabeleceu foi causa dos maiores bens; pois, assim como o homem perfeito é o melhor dos animais, afastado da lei e da justiça, é o pior de todos: a pior injustiça é a que possui armas, e o homem está naturalmente dotados de armas para servir à prudência e à virtude, mas pode usá-las para as coisas mais opostas. Por isso, sem virtude, é o mais ímpio, lascivo e glutão. A justiça, em troca, é coisa da cidade, já que a justiça é a ordem da comunidade civil, e consiste no discernimento do que é justo.

Dicionário Filosófico

Política – é tudo aquilo que diz respeito aos cidadãos e ao governo da cidade, aos negócios públicos. A filosofia política é assim a análise filosófica da relação entre os cidadãos e a sociedade, as formas de poder e as condições em que este se exerce, os sistemas de governo, e a natureza, a validade e a justificação das decisões políticas.

Encontrando informações, interpretando e pesquisando

1 – Segundo Aristóteles, quando agimos sempre desejamos algum fim. O que buscamos como finalidade e que todos os outros desejos existem por causa dele?
2 – De qual saber (ciência) ele (a resposta acima) provém?
3 – Porque o saber acima é a ciência suprema e arquitetônica por excelência? O que ela determina?
4 – Qual o fim (a finalidade) buscado pela ciência política?
5 – Se houver identidade entre o bem do indivíduo e o bem da cidade, qual devemos conhecer e salvaguardar, pois é mais belo e mais divino?
                (   ) o bem pessoal                                              (   ) o bem social
6 – Qual a finalidade da associação composta por vários povoados?
7 – Ao contrário dos sofistas que defendiam a tese de que a vida na polis é uma convenção, Aristóteles afirma que é por ____________________. Assim, o homem é um animal político por _______________.
8 – Quais os dois tipos de criatura o homem será caso viva fora da cidade?
(   ) criatura mitológica (Zeus)
(   ) criatura degredada (besta)
(   ) criatura superior ao homem (deus)
(   ) criatura alem do homem (herói)
9 – Dentre os animais o que é único ao homem?
10 – Qual é o objetivo da linguagem no homem?
11 – Aristóteles diz que “a comunicação destes sentimentos constitui a família e a cidade (Estado)”. Que sentimentos são estes?
12 – O que é o homem sem virtude?
13 – Qual é a ordem da comunidade civil?

Hora Certa

Total de visualizações de página