Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia da Moral ou Ética - Missão 02b - Aristóteles - a amizade

Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros (PCNs, página 64)

Existe realmente a possibilidade da existência de uma amizade perfeita entre os homens?

L'amitié 
Intérprete:Françoise Hardy, 1965
Letra: Jean-Max Rivière
Música: Gérard
O capitão Vladimir Arseniev (Yuri Solomin) é enviado pelo governo soviético para explorar e reconhecer as montanhas da Mongólia, juntamente com uma pequena tropa. Em meio a expedição eles encontram Dersu Uzala (Maksim Munzuk), um caçador que vive apenas nas florestas. Percebendo que Dersu conhece bastante o local, o que pode facilitar o trabalho, o capitão lhe oferece que acompanhe a tropa até o término da missão. É o início de uma forte amizade entre o capitão e Dersu, que aos poucos demonstra suas habilidades. Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-96569/
Acesso em 6/10/2104

Filosofia da Moral ou Ética
Tema: a amizade
Questões Centrais: Quais são as características de uma verdadeira amizade?
Filósofo: Aristóteles (384 – 324 a.C.)
Obra: Ética a Nicômaco
Biografia

Aristóteles nasceu em Estagira, na Calcídica (384 – 322 a.C.). Filósofo grego, aluno de Platão e professor de Alexandre, o Grande, é considerado um dos maiores pensadores de todos os tempos e criador do pensamento lógico.
Ele está entre os mais influentes filósofos gregos, junto com Sócrates e Platão, que transformaram a filosofia pré-socrática, construindo um dos principais fundamentos da filosofia ocidental. Aristóteles prestou contribuições fundantes em diversas áreas do conhecimento humano, destacando-se: ética, política, física, metafísica, lógica, psicologia, poesia, retórica, zoologia, biologia, história natural. É considerado por muitos o filósofo que mais influenciou o pensamento ocidental.

Ler textos filosóficos de modo significativo (PCNs)

Ética a Nicômaco

Livro VIII

Resta agora falar da amizade. Depois do que dissemos segue-se naturalmente uma discussão da amizade, visto que ela é uma virtude ou implica virtude, sendo, além disso, sumamente necessária à vida. Porque sem amigos ninguém escolheria viver, ainda que possuísse todos os outros bens. E acredita-se, mesmo, que os ricos e aqueles que exercem autoridade e poder são os que mais precisam de amigos; pois de que serve tanta prosperidade sem um ensejo de fazer bem, se este se faz principalmente e sob a forma mais louvável aos amigos? Ou como se pode manter e salvaguardar a prosperidade sem amigos?
(...)
Há, assim, três espécies de amizade, iguais em número às coisas que são estimáveis; pois com respeito a cada uma delas existe um amor mútuo e conhecido, e os que se amam desejam-se bem a respeito daquilo por que se amam.
Ora, os que se amam por causa de sua utilidade não se amam por si mesmos, mas em virtude de algum bem que recebem um do outro. Idêntica coisa se pode dizer dos que se amam por causa do prazer; não é devido ao caráter que os homens amam as pessoas espirituosas, mas porque as acham agradáveis. Logo, os que amam por causa da utilidade, amam pelo que é bom para eles mesmos, e os que amam por causa do prazer, amam em virtude do que é agradável a eles, e não na medida em que o outro é a pessoa amada, mas na medida em que é útil ou agradável.
De forma que essas amizades são apenas acidentais, pois a pessoa amada não é amada por ser o homem que é, mas porque proporciona algum bem ou prazer. Eis por que tais amizades se dissolvem facilmente, se as partes não permanecem iguais a si mesmas: com efeito, se uma das partes cessa de ser agradável ou útil, a outra deixa de amá-la.
Ora, o útil não é permanente, mas muda constantemente. E assim, quando desaparece o motivo da amizade, esta se dissolve, pois que existia apenas para os fins de que falamos.
(...)
A amizade perfeita é a dos homens que são bons e afins na virtude, pois esses desejam igualmente bem um ao outro enquanto bons, e são bons em si mesmos. Ora, os que desejam bem aos seus amigos por eles mesmos são os mais verdadeiramente amigos, porque o fazem em razão da sua própria natureza e não acidentalmente. Por isso sua amizade dura enquanto são bons — e a bondade é uma coisa muito durável. E cada um é bom em si mesmo e para o seu amigo, pois os bons são bons em absoluto e úteis um ao outro. E da mesma forma são agradáveis, porquanto os bons o são tanto em si mesmos como um para o outro, visto que a cada um agradam as suas próprias atividades e outras que lhes sejam semelhantes, e as ações dos bons são as mesmas ou semelhantes.
Uma tal amizade é, como seria de esperar, permanente, já que eles encontram um no outro todas as qualidades que os amigos devem possuir. Com efeito, toda a amizade tem em vista o bem ou o prazer — bem ou prazer, quer em abstrato, quer tais que possam ser desfrutados por aquele que sente a amizade —, e baseia-se numa certa semelhança. E à amizade entre homens bons pertencem todas as qualidades que mencionamos, devido à natureza dos próprios amigos, pois numa amizade desta espécie as outras qualidades também são semelhantes em ambos; e o que é irrestritamente bom também é agradável no sentido absoluto do termo, e essas são as qualidades mais estimáveis que existem. O amor e a amizade são, portanto, encontrados principalmente e em sua melhor forma entre homens desta espécie.
Mas é natural que tais amizades não sejam muito frequentes, pois que tais homens são raros. Acresce que uma amizade dessa espécie exige tempo e familiaridade. Como diz o provérbio, os homens não podem conhecer-se mutuamente enquanto não houverem "provado sal juntos"; e tampouco podem aceitar um ao outro como amigos enquanto cada um não parecer estimável ao outro e este não depositar confiança nele. Os que não tardam a mostrar mutuamente sinais de amizade desejam ser amigos, mas não o são a menos que ambos sejam estimáveis e o saibam; porque o desejo da amizade pode surgir depressa, mas a amizade não.

Dicionário Filosófico


Amizade (do latim amicus; amigo, que possivelmente se derivou de amore; amar, ainda que se diga também que a palavra provém do grego) é uma relação afetiva, a princípio, sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo.

Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo (PCNs)

1 – Segundo Aristóteles, a amizade é:
(     ) um sentimento          (     ) uma virtude          (     ) uma arte
2 - Quem são aqueles que mais precisam de amigos e por quê?
3 - Aristóteles diz que existem três espécies de amizade. 
a) Quais são as duas primeiras? 
b) Estas primeiras são acidentais ou essenciais? 
c) São permanentes ou se dissolvem assim que desaparece o motivo da amizade?
4 - Qual é a terceira espécie de amizade, a perfeita?
5 - A amizade desta terceira espécie, ou seja, a perfeita, é:
(     ) frequente          (     ) rara
6 - Faça a relação conforme o texto.
(A) Amizade utilitária               (     ) Com base nas virtudes, no caráter dos homens
(B) Amizade por prazer           (     ) Com base no que é agradável aos homens
(C) Amizade perfeita               (     ) Com base em receber algum bem de outros homens
7 - Os homens não podem conhecer-se mutuamente enquanto não houverem "provado sal juntos". O que significa este provérbio?
8 - O desejo de ser amigo de alguém e ter a amizade em si desta pessoa é simultânea?
(     ) sim         (     ) não
9 - Conforme o dicionário filosófico acima, o que é a amizade em sentido amplo? 
10 - No filme "Dersu Uzala", a amizade entre o protagonista e o explorador do exército russo se encaixa em qual das três espécies de amizades citadas por Aristóteles? Por quê?

Hora Certa

Total de visualizações de página