Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia da Arte ou Estética - Missão 08b - Schelling - o gênio, a intuição

Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros (PCNs, página 64)


A genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração. (Thomas Edison)
Duas genialidades: Prelúdio da Partita nº 3 de Johann Sebastian Bach sendo executada pelo virtuose Jascha  Heifetz

Filosofia da Arte ou Estética
Temas: a intuição, o gênio, a criação artística
Questão Central: O que é a intuição estética?
Filósofo: Schelling (1775 – 1854)
Obra: Textos Estéticos

Friedrich Schelling (1775 – 1854) foi um filósofo alemão, um dos representantes do Idealismo alemão, assim como Fichte e Hegel.

Ler textos filosóficos de modo significativo (PCNs)

Textos Estéticos (

Essa objetividade da intuição intelectual, universalmente reconhecida e absolutamente irrefutável, é a própria arte. Pois a intuição estética é precisamente a intuição intelectual tornada objetiva. Mas a obra de arte reflete para mim mesmo o que nenhuma outra coisa pode refletir esse idêntico absoluto que já se separou do eu; o que o filósofo já deixa separar, portanto, no primeiro ato da consciência, ademais sendo inacessível a qualquer intuição, transparece, pelo milagre da arte, nos seus produtos.
(...) Se a intuição estética é apenas intuição intelectual tornada objetiva, sem dúvida a arte é o único organon verdadeiro e eterno, ao mesmo tempo em que o único documento da filosofia, o testemunho permanente daquilo que a filosofia não pode representar exteriormente; quero dizer do inconsciente, no agir e no produzir, e de sua identidade original com o consciente. Por isso a arte é, para o filósofo, a coisa mais alta, a que de alguma forma abre-lhe o Santo dos Santos onde queima como uma chama, numa união eterna e originária, o que se acha separado na natureza e na história e o que deve separar-se eternamente na vida e na ação, tanto quanto no pensamento. A concepção artificial que a filosofia faz da natureza é, para a arte, a concepção original e natural. O que denominamos natureza é um poema encerrado numa maravilhosa escrita cifrada. Se o enigma pudesse ser revelado, reconheceríamos nele a Odisséia do espírito que, fascinado por um engano, buscando a si mesmo, afasta-se de si; pois através do mundo sensível brilha, como o sentido entre as palavras, apenas como em meio a bruma semitransparente, o país da Fantasia (o Imaginário) a que aspiramos. Um belo quadro de alguma forma nasce quando a parede invisível que separa o mundo real do mundo ideal é suprimida; ele é apenas a abertura pelas quais as figuras e os lugares do mundo imaginário, de que só imperfeitamente se percebe o brilho no mundo real, emerge na totalidade. A natureza não é para o artista mais do que é para o filósofo, não é mais que o mundo ideal, aparecendo com seus constantes limites, ou o reflexo imperfeito de um mundo que existe, não fora dele, mas dentro dele. (...)
Mas se só existe a arte para conseguir tornar objetivo, com toda validade, o que o filósofo só pode representar subjetivamente, pode-se esperar (...) que a filosofia, do mesmo modo que nasceu e alimentou-se de poesia, desde a infância da ciência, assim como todas as ciências que levou à perfeição, reflua depois de seu término, como tantas correntes isoladas, para o universal oceano da poesia do qual se originaram.

Dicionário Filosófico

Intuiçãoé o processo de apreensão racional não-discursiva de um fenômeno ou de uma relação. Se a razão discursiva se caracteriza por um processo paulatino que culmina numa conclusão, a intuição é compreensão direta, imediata de algo.

Gênio – um indivíduo que sai do ordinário ou do comum, revelando alguém superdotado revelando alguns quais um indiv com um poder de criação que se manifesta no domínio das artes: "Para se julgar objetos belos, torna-se necessário o gosto: mas para as belas-artes, é necessário o gênio" (Kant).


Amadeus - Milos Forman - 1984
Postado por Amanda Fernandes - 2011
Criação artística – é a produção original do “gênio” nas belas-artes. A idéia de criação artística se opõe à noção de produção, à noção de fabricação e à idéia de reprodução. Não se trata, porém, de uma criação ex nihilo (do nada), pois a obra é nova e parte de elementos preexistentes.

Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo (PCNs)

Hora Certa

Total de visualizações de página