Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia do Conhecimento - Missão 10 - Platão - a anamnese


Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros (PCNs, página 64)
 A mulher que perdeu a memória (Rosângela Rennó)
                                                                                  O que denominamos esquecer não será precisamente a perda do conhecimento?  (Platão)


Filosofia do Conhecimento
Tema: a anamnese ou reminiscência
Questão Central: Se as ideias não nascem das experiências sensíveis, de onde se originam?
Filósofo: Platão (428 - 347 a.C)
Obra: Ménon (ou da virtude)


Biografia


Platão (428/27–347 a.C.) foi um filósofo grego. Discípulo de Sócrates, fundador da Academia e mestre de Aristóteles. Sua filosofia é de grande importância e influência. Platão ocupou-se com vários temas, entre eles ética, política, metafísica e teoria do conhecimento.


Ler textos filosóficos de modo significativo (PCNs)


Ménon (ou da virtude)


Ménon – Mas de que modo buscarás, Sócrates, aquilo que absolutamente ignoras? E das coisas que ignoras, da qual farás objeto de investigação? E se por acaso a encontrares, como saberás que é exatamente a que buscavas, se não a conhecias?
Sócrates – Compreendo o que queres dizer, Ménon! Vê que belo argumento erístico estás a propor! O argumento segundo o qual ao homem não é dado buscar o que sabe nem o que não sabe: o que sabe porque, conhecendo-o, não necessita buscá-lo; o que não sabe porque tampouco sabe o que está buscando.
Ménon – E não te parece, Sócrates, que este seja um raciocínio bem conduzido?
Sócrates – A mim não parece!
Ménon – Diz-me por quê!
Sócrates – Certamente! Porque tenho ouvido de homens e mulheres muito doutrinados em coisas divinas...
Ménon – O que dizem?
Sócrates – Coisas verdadeiras, a meu ver, e belas.
Ménon – Quais? E quem são eles?
Sócrates – Sacerdotes e sacerdotisas, que se preocupam em explicar o objeto do seu próprio ministério. É a mesma coisa dizem também Píndaro e muitos outros poetas, os poetas divinos. E dizem (mas vê se a ti parece que falam a verdade) que a alma humana é imortal, e que ora ela tem a sua conclusão (a que se chama morrer), ora renasce, porém jamais é destuída; eis porque, dizem, é preciso viver do modo mais santo possível...
Assim, para a alma imortal e muitas vezes renascida, que já viu todas as coisas deste mundo e do Hades, nada existe que não tenha aprendido. Não há, portanto, por que se surpeender se pode fazer aflorar na mente o que já conhecia antes sobre a virtude e todo o resto. Por outro lado, sendo a natureza toda congênere e tendo a alma tudo aprendido, nada impede que a alma, recordando (aquilo a que os homens chamam de aprendizagem) uma única coisa, encontre também todas as outras, desde que seja corajosa e incansável na investigação. Sim, procurar e aprender são, no seu conjunto, reminiscências. Assim, não devemos confiar no raciocínio erístico: ele nos tornaria preguiçosos e soa agradável somente aos ouvidos das pessoas sem vigor; o nosso raciocínio, ao contrário, torna todos operosos e dedicados à pesquisa. Convencido de que é o verdadeiro, desejo procurar contigo o que é a virtude.


Dicionário Filosófico


Anamnese ou reminiscência: ação de lembrar-se, recordação. Na filosofia platônica, a anamnese consiste no esforço progressivo pelo qual a consciência individual remonta, da experiência sensível, para o mundo das idéias. A alma antes de sua encarnação no corpo, teria tido contato direto com as formas que constituem o mundo intelígel, e delas se recordaria posteriormente quando já encarnada. A recuperação desse contato estaria na base da possibilidade do conhecimento e constituiria seu ponto de partida. Isso explicaria a possibilidade de termos um conhecimento prévio à experiência e independente dela, sendo portanto uma forma de inatismo ou apriorismo.

Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo (PCNs)


1 – Qual argumento erístico Ménon está propondo para Sócrates?
2 – O que dizem os sacerdotes e também Píndaro e que Sócrates acredita que são verdades e algo belo?
3 – Porque para a alma nada no mundo existe que ela não tenha aprendido?
4 – Se a alma já viu todas as coisas deste mundo e do Hades e se ela for corajosa e incansável na investigação, então ela aprenderá as coisas através da:
(   ) Recordação, anamnese, reminiscência
(   ) Invenção, “imaginare”, combinação
5 – Segundo Platão porque não devemos confiar no raciocínio erístico?
6 – Quem poderiam ser sem vigor ou preguiçosas que defendem o raciocínio erístico e que Sócrates está condenando?
(   ) os filósofos
(   ) os sofistas (céticos)
7 – Na filosofia platônica em que consiste a anamnese?
8 - Se as ideias não nascem das experiências sensíveis, de onde se originam? Para Platão o processo que leva à formação dos conceitos não nasce da experiência sensível: não formamos a ideia de cadeira observando muitas cadeiras. A alma (mente) conhece as coisas recuperando a lembrança daquilo que viu no Mundo das Ideias (ou Formas) antes de reencarnar.
Escolha um objeto e faça um cartaz digital semelhante a este abaixo com atenção especial ao conceito (ideia).


Hora Certa

Total de visualizações de página